11 de dezembro de 2011

Folhas mortas







Oh, eu queria tanto que você se lembrasse,
Dos dias felizes quando nós éramos amigos,
Nesse tempo, a vida era mais bela,
E o sol queimava mais que hoje.
As folhas mortas são colhidas com uma pá.
Você vê, eu não me esqueci.
As folhas mortas são colhidas com uma pá,
As lembranças e os arrependimentos também,
E o vento do norte as leva,
Na noite fria do esquecimento.
Você vê, eu não me esqueci,
Da canção que você cantava...
É uma canção que parece com a gente,
Você que me amava, eu que te amava.
Nós vivíamos, os dois, juntos,
Você que me amava, eu que te amava.
E a vida separa aqueles que se amam,
Levemente, sem fazer barulho.
E o mar apaga, sobre a areia,
Os passos dos amantes separados.

Nós vivíamos, os dois, juntos,
Você que me amava, eu que te amava.
E a vida separa aqueles que se amam,
Levemente, sem fazer barulho.
E o mar apaga, sobre a areia,
Os passos dos amantes separados..."


Jacques Prévert

7 comentários:

  1. Lindo! Verdadeiramente lindo!
    Obrigada pela visita.
    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Olá Ju ! Muito lindo o poema, mas ouvi-lo cantado pelo Ives Montand, ainda mais lindo se torna !

    Beijinho e bom domingo !
    .

    ResponderEliminar
  3. Olá Ju ! Muito lindo o poema, mas ouvi-lo cantado pelo Ives Montand, ainda mais lindo se torna !

    Beijinho e bom domingo !
    .

    ResponderEliminar
  4. Não és poeta, mas escolhes poemas muito bonitos!
    Parabéns.

    (Obrigada pela visita ao meu espaço. Beijinhos)

    ResponderEliminar
  5. Catarina

    Eu é que agradeço a visita.

    Um beijinho

    ResponderEliminar
  6. Rui
    Também acho o poema muito bonito e adoro a música.

    ResponderEliminar
  7. Carol

    Eu é que fico muito grata pela tua visita.

    Beijinho

    ResponderEliminar