8 de fevereiro de 2012

Praia do Esquecimento





Fujo da sombra; cerro os olhos: não há nada.
A minha vida nem consente
rumor de gente
na praia desolada.

Apenas decisão de esquecimento:
mas só neste momento eu a descubro
como a um fruto rubro
de que, sem já sabê-lo, me sustento.

 E do Sol amarelo que há no céu
somente sei que me queimou a pele.
Juro: nem dei por ele
quando nasceu.

 David Mourão-Ferreira
in "Tempestade de Verão"

Sem comentários:

Enviar um comentário