6 de novembro de 2012

Todo o tempo é de poesia



Todo tempo é de poesia
Desde a névoa da manhã
à névoa do outro dia.
Desde a quentura do ventre
à frigidez da agonia
Todo o tempo é de poesia
Entre bombas que deflagram.
Corolas que se desdobram.
Corpos que em sangue soçobram.
Vidas qu'a amar se consagram.
Sob a cúpula sombria
das mãos que pedem vingança.
Sob o arco da aliança
da celeste alegoria.
Todo o tempo é de poesia.
Desde a arrumação ao caos
à confusão da harmonia.

(António Gedeão)

3 comentários:

  1. Bonito blog ,
    também replico poemas dos poetas ,
    faço assim porque também 'não sou poeta' ... rs
    'Todo o tempo é de poesia'_ que bom em todas as estações independente do que possa ocorrer.
    Gosto do Gedeão.
    Linda a foto principal, bonita escolha.
    Obrigada pela presença .
    deixo abraço

    ResponderEliminar
  2. Concordo completamente com o poeta.
    Tanto que, o gesto simples de nos deslumbrarmos com a beleza de uma flor (por exemplo uma rosa) é pura poesia para os nossos olhos, sentirmos o emanar da sua fragrância é poesia para o nosso olfacto e sentir o aveludado do toque das suas pétalas é poesia nas nossas mãos.


    Sabe sempre tão bem vir até aqui.
    Um beijinho perfumado
    (^^)

    ResponderEliminar
  3. Grande Poeta! Admiro-o desde que o comecei a ler. Felizmente possuo as suas obras par me deliciar. Gostei de reler.
    Um abraço.
    M. Emília

    ResponderEliminar