11 de dezembro de 2012

Folha




Era uma folha pousada
no cotovelo do vento:
e pairava, deslumbrada,
entre morte e movimento.


Era uma folha: lembrava,
de tão frágil, o momento
em que a vida me ficava
escrava do teu juramento.


Era uma folha: mais nada.
Antes fosse esquecimento!


 (David Mourão Ferreira)

1 comentário:

  1. Gosto do teu bom gosto na escolha dos poemas e das fotos.
    Este post é mais um exemplo disso mesmo.
    Ju, minha querida amiga, tem um bom Natal.
    Beijinho.

    ResponderEliminar