5 de janeiro de 2013

À Sua Passagem a Noite é Vermelha




À sua passagem a noite é vermelha,
E a vida que temos parece
Exausta, inútil, alheia.

Ninguém sabe onde vai nem donde vem,
Mas o eco dos seus passos
Enche o ar de caminhos e de espaços
E acorda as ruas mortas.

Então o mistério das coisas estremece
E o desconhecido cresce
Como uma flor vermelha.

(Sophia de Mello Breyner)

2 comentários:

  1. Gostei da tua escolha poética.
    Ler a Sophia e visitar-te é sempre agradável.
    Ju, minha querida amiga, tem um bom fim de semana.
    Beijo grande.

    ResponderEliminar
  2. As palavras têm voz própria

    basta ouvi-las

    ResponderEliminar