23 de fevereiro de 2013

Disseste-me em surdina



Disseste-me em surdina, ao meu ouvido
palavras que não ouso revelar.
Todo o segredo havido entre nós dois
Só o partilharemos com o mar.

Disseste-me palavras nunca ouvidas
palavras de desejo, ciciadas,
que só os amantes pronunciam
e se fundem no som alto das vagas.

O que me disseste e o que eu te disse
p’ra sempre o haveremos de calar.
A não ser que outros amantes as escutem
na rebentação larga do mar.

(Avelino de Sousa)

Sem comentários:

Enviar um comentário