17 de março de 2013

NUMA TARDE DE CHUVA






Cai uma chuva fina e sonolenta,
dessas que custam...custam...a passar,
e nesta tarde baça e friorenta,
chega até dar preguiça de pensar...

Até minha alma parece cinzenta
- cinzenta e fria... Como versejar
nesta apatia, se o que mais me tenta
é a minha cama, ali, a me chamar?...

Melhor deixar pra lá a poesia
e entre os meus cobertores ir tentar
me aquecer... dormir... talvez sonhar...

- Sonhar com um céu azul de um lindo dia,
onde entre luzes, cores - pelos ares -
revoem versos, rimas e cantares!....

(Eloah Borda)


2 comentários:

  1. Olá!
    Um lindo poema que está mesmo a calhar ...com este tempo que se faz sentir nestas bandas... chuva...frio ...vento...
    Um abraço.
    M. Emília

    ResponderEliminar
  2. Que chova para lubrificar a terra

    ResponderEliminar