21 de setembro de 2013

José Saramago



"Não sei como o perceberão as crianças de agora, mas, naquelas
épocas remotas, para as infâncias que fomos, o tempo aparecia-nos
como feito de uma espécie particular de horas, todas lentas,
arrastadas, intermináveis. Tiveram de passar alguns anos para
que começássemos a compreender, já sem remédio, que cada uma
tinha apenas sessenta minutos, e, mais tarde ainda, teríamos
a certeza de que todos estes, sem excepção, acabavam ao fim
de sessenta segundos..."


(José Saramago)

Sem comentários:

Enviar um comentário