24 de novembro de 2013

Tristeza



O sol do outono, as folhas a cair,
A minha voz baixinho soluçando,
Os meus olhos, em lágrimas, beijando
A terra, e o meu espírito a sorrir...

Eis como a minha vida vai passando
Em frente ao seu Fantasma... E fico a ouvir
Silêncios da minh'alma e o ressurgir
De mortos que me foram sepultando...

E fico mudo, estático, parado
E quase sem sentidos, mergulhando
Na minha viva e funda intimidade...

Só a longínqua estrela em mim atua...
Sou rocha harmoniosa à luz da lua,
Petrificada esfinge de saudade...


(Teixeira de Pascoaes)

2 comentários:

  1. Também gosto deste poeta e até acho que foi, realmente, uma das pessoas que melhor "sentiu" a saudade, tão caracteristicamente portuguesa.

    Bom resto de dia

    ResponderEliminar
  2. Passo só para lhe desejar Festas Felizes e me despedir até ao próximo ano

    ResponderEliminar