28 de janeiro de 2014

UM POEMA



Não tenhas medo, ouve:
É um poema
Um misto de oração e de feitiço...
Sem qualquer compromisso,
Ouve-o atentamente,
De coração lavado.
Poderás decorá-lo
E rezá-lo
Ao deitar
Ao levantar,
Ou nas restantes horas de tristeza.
Na segura certeza
De que mal não te faz.
E pode acontecer que te dê paz...


(Miguel Torga)

26 de janeiro de 2014

Está frio



Está frio.
Ponho sobre os ombros o capote que me lembra um xale -
O xale que minha tia me punha aos  ombros na infância
Mas os ombros da minha infância sumiram-se muito para dentro dos  meus
                                                                                                            ombros,
E o meu coração da infância desceu-se muito, para dentro do meu coração.

Sim está frio...
Está frio em tudo que sou, está frio...
Minhas próprias ideias têm frio, como gente velha...
E o frio que  eu tenho das minhas ideias terem frio é mais frio do que elas.
Engenho o capote à minha volta...
O Universo da gente...a gente...as pessoas todas!...
A multiplicidade da humanidade misturada,
Sim, aquilo a que chamamos a vida, como se só houvesse astros e estrelas...
Sim, a vida...
Meus ombros descaem tanto que o capote resvala...
Querem consertar melhor? Puxem-me para cima o capote.

Ah, parte a cara à vida!
Liberta-te com estrondo no sossego de ti!


(Fernando Pessoa)