15 de fevereiro de 2015

Poesia



O amor também cansa.
Renova a tua vida, dia a dia.
Onde estiver esperança
põe teu sonho e tua fantasia.

Entrega-te a cada hora
e aceita sem reservas
tudo o que venha ao teu encontro.
Não sejas como as ervas.

Deixa em tudo o teu selo de postagem.
Bebe em todas as fontes, se puderes.
Só terás remorso
do que possas fazer e o não fizeres.

Não forces a tua inspiração.
Deixa a poesia vir naturalmente
e não obrigues a mentir o coração.

Procura ser espontâneo.
A verdadeira beleza
está no que o homem tem de semelhante
com a natureza.



(Albano Martins)

1 comentário:

  1. Tenho que contrariar Albano Martins. O amor não cansa.
    Beijinho

    ResponderEliminar