26 de abril de 2015

Pedido




Ama-me sempre, como à flor do lírio 
Bravo e sozinho, a quem a gente quer 
Mesmo já seco na recordação. 
Ama-me sempre, cheia da certeza 
De que, lírio que sou da natureza, 
Na minha altura eu brotarei do chão. 

(Miguel Torga)

2 comentários:

  1. Miguel Torga
    poeta cívico e romântico
    sonhando com um mundo que outorga
    com palavras em jeito de cântico

    Bj
    António N

    ResponderEliminar