29 de junho de 2015

PAIRA À TONA DE ÁGUA



Paira à tona de água 
Uma vibração, 
Há uma vaga mágoa 
No meu coração.

Não é porque a brisa 
Ou o que quer que seja 
Faça esta indecisa 
Vibração que adeja, 

Nem é porque eu sinta 
Uma dor qualquer. 
Minha alma é indistinta, 
Não sabe o que quer. 

É uma dor serena, 
Sofre porque vê. 
Tenho tanta pena! 
Soubesse eu de quê!...”

(Fernando Pessoa)

2 comentários:

  1. Não recordava deste poema!
    Obrigada por o partilhares, parabéns pela escolha.

    Beijinho Ju e boa semana,
    Adélia

    ResponderEliminar