18 de novembro de 2015

DE QUE SÃO FEITOS OS DIAS?





De que são feitos os dias?
- De pequenos desejos,
vagarosas saudades,
silenciosas lembranças.

Entre mágoas sombrias,
momentâneos lampejos:
vagas felicidades,
inatuais esperanças.

De loucuras, de crimes,
de pecados, de glórias
- do medo que encadeia
todas essas mudanças.

Dentro deles vivemos,
dentro deles choramos,
em duros desenlaces
e em sinistras alianças...

(Cecília Meireles)

13 de novembro de 2015

Outono




O outono toca realejo
No pátio da minha vida. 

Velha canção, sempre a mesma, 
Sob a vidraça descida…

Tristeza? Encanto? Desejo? 
Como é possível sabê-lo? 
Um gozo incerto e dorido 
De carícia a contrapelo…

Partir, ó alma, que dizes? 
Colher as horas, em suma… 
Mas os caminhos do Outono 
Vão dar em parte nenhuma! 

(Mario Quintana)

4 de novembro de 2015

FRAGMENTO




“Então, que seja doce. Repito todas as manhãs,
ao abrir as janelas para deixar entrar o sol ou o
cinza dos dias, bem assim: que seja doce.
Quando há sol, e esse sol bate na minha cara
amassada do sono ou da insônia, contemplando
as partículas de poeira soltas no ar, feito um
pequeno universo, repito sete vezes para dar sorte:
que seja doce que seja doce que seja doce e
assim por diante. Mas, se alguém me perguntasse
o que deverá ser doce, talvez não saiba responder.
Tudo é tão vago como se fosse nada.”



(Caio Fernando Abreu)