12 de abril de 2016

Vontade de mar...



Há nesta vibração um prenúncio
Uma espera que germina
Uma fala inesperada...

Um murmúrio, uma corrente.
Há um rio que se advinha.
Há um rosto. E em cada linha
Uma vontade de Mar
Desatada...

Uma palavra em cada esquina.
Uma promessa. Uma viola.
Uma canção que se afina.
Uma mão – clandestina!
E uma nova luta pegada.

Há um barco que se anuncia.
Há uma ousadia sonhada...

Há um poema sem rima. Uma viagem.
Uma flor. Uma arma. 
Uma fronteira vencida.
Há uma Festa que se acarinha
Ou uma dor aziaga...

Há este gesto insubmisso
E esta paixão tão gritada...

(Manuel Veiga)

3 comentários:

  1. Não conhecia e gostei. :)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Olá JU (Hoje, outra JU ! rsrs) ... Tal como falamos, é bom ler ! ... Comentar é mais difícil !

    Beijo (mais real) ! :))

    ResponderEliminar
  3. Gosto muito dos poemas do heretico. Escreve muito bem!

    Beijinhos, Ju.

    ResponderEliminar