23 de abril de 2017

ROSA VERMELHA



Trago uma rosa vermelha
Aberta dentro do peito
Já não sei se é comigo
Se é contigo que eu me deito.


A minha rosa vermelha
Mais parece uma romã
Pois quando aberta de noite
Não se fecha de manhã


Trago uma rosa vermelha
Na minha boca encarnada
Quem me dera ser abelha
Na tua boca fechada


Trago uma rosa vermelha
Não preciso de mais nada.


Pus uma rosa vermelha
Na fogueira do teu rosto
Mereço ser condenada
Por crime de fogo posto.


Trago uma rosa vermelha
Que é minha condenação
Condenada a vida inteira
À fogueira da paixão


Trago uma rosa vermelha
Atrevida e perfumada
É uma rosa vaidosa
A minha rosa encarnada


Trago uma rosa vermelha
Não preciso de mais nada.


(José Carlos Ary dos Santos)

10 de abril de 2017

SIMPLICIDADE



Queria, queria 
Ter a singeleza 
Das vidas sem alma 
E a lúcida calma 
Da matéria presa. 

Queria, queria 
Ser igual ao peixe 
Que livre nas águas 
Se mexe; 

Ser igual em som, 
Ser igual em graça 
Ao pássaro leve, 
Que esvoaça... 

Tudo isso eu queria! 
(Ser fraco é ser forte). 
Queria viver 
E depois morrer 
Sem nunca aprender 
A gostar da morte. 



(Pedro Homem de Melo)